Clique Vestibular

NOTÍCIAS

Correção de português UECE 2020-2 por Emmanuel Lessa

Correção de português UECE 2020-2

Por Emmanuel Lessa

01. A intertextualidade é um dos fatores responsáveis pela construção de sentidos de um texto. Ela é percebida quando um texto faz remissão a outro(s) já produzido(s) e que faz(em) parte da memória dos leitores, por ser(em) reconhecido(s) na literatura.
Considerando o que se afirma acima a respeito da intertextualidade, atente para os seguintes versos do texto 1.

I. “Quando nasci um anjo esbelto, desses que tocam trombeta, anunciou: vai carregar
bandeira”. (linhas 01-03) 
II. “Aceito os subterfúgios que me cabem, sem precisar mentir”. (linhas 06-07)
III. “Vai ser coxo na vida, é maldição pra homem. Mulher é desdobrável. Eu sou”. (linhas 17-18)

No que concerne à intertextualidade, é correto afirmar que ela ocorre em
A) I e II apenas.
B) I e III apenas.
C) II e III apenas.
D) I, II e III.

COMENTÁRIO: A resposta correta para esta questão é o item B. As assertivas I e III estão corretas, elas criam um dialogismo com o poema Sete Faces de Carlos Drummond de Andrade, os versos de Adélia Prado “Quando nasci um anjo esbelto, desses que trocam trombeta, anunciou vai carregar bandeira”, enquanto os versos drummonianos relatam “Quando nasci um anjo torto, desses que vivem na sombra, disse: Vai, Carlos! Ser gauche na vida”. Já no item III, vê-se a aproximação da expressão “ Vai ser coxo na vida com Vai ser gauche na vida.

02. A escritora Adélia Prado, autora modernista mineira, surpreende a crítica e encanta os leitores pela originalidade de sua poesia marcada pelo feminino e pelo misticismo. No texto 1, acima, de sua autoria, observa-se que o eu lírico é alguém que se vê como

A) vítima de sua condição, conforme os versos: “[…] vai carregar bandeira./Cargo muito pesado pra mulher […]”. (linhas 03-04)
B) militante radical de causas políticas, dividindo o mundo em dois polos quando diz: “Vai ser coxo na vida, é maldição pra homem”. (linha 17)
C) submisso aos caprichos do destino, como demonstra nos versos: “Aceito os subterfúgios que me cabem,/sem precisar mentir”. (linhas 06- 07)
D) irresignado ao que o destino vaticinou na ocasião de seu nascimento ao afirmar: “Mulher é desdobrável. Eu sou”. (linha 18).

COMENTÁRIO: A resposta correta para esta questão é a letra D, diante a leitura do texto, nota-se que o eu lírico apesar de passar por muitos problemas não admite nenhum tipo de fraqueza, no entanto durante a leitura percebe-se que a mulher é envergonhada, porém perderá essa vergonha. A autora ainda afirma que a mulher será e é soberana, pois a mesma funda reinos e por fim ela se mostra irresignada pela profecia que a mostraria fraca e dependente.

03. O texto 1 marca-se como gênero poema com versos livres (sem a necessidade de rimas ou de restrições métricas). Para a composição desse texto, a autora selecionou predominantemente a tipologia textual

A) narrativa, porque apresentou ações que sinalizam mudanças de estado, geralmente no passado ou que partem do passado, com circunstâncias de tempo e de lugar.
B) argumentativa, porque trouxe enunciado de atribuição de qualidade, dados e demais informações que intentam convencimento ou mudança de opinião acerca de uma temática. 
C) expositiva, porque houve uma decomposição dos elementos elencados, no texto, a fim de estabelecer uma relação parte-todo.
D) descritiva, porque contemplou uma estrutura simples com verbo estático no presente ou imperfeito, atuando como um complemento e/ou uma indicação circunstancial de lugar.

COMENTÁRIO: A alternativa correta para esta questão é a letra A, a tipologia usada pela autora é a narrativa conforme podemos notar na marca temporal “ Quando eu nasci…” e durante todo o texto nota-se que eu lírico passa por muitas mudanças de estado.

04. A atividade de escrita coesa e coerente de um texto requer que os elementos estabeleçam entre si uma correspondência que pode ajudar a recuperar a referência a algo, alguém, fatos, eventos, sentimentos etc. Assim, considerando esses aspectos
da escrita, assinale a opção cuja indicação de correspondência dos elementos destacados nos versos apresentados a seguir está INCORRETA.
A) “Quando nasci um anjo esbelto” (linha 01) corresponde a “[…] esta espécie ainda
envergonhada” (linha 05).
B) “Cargo muito pesado pra mulher” (linha 04) corresponde a “[…] esta espécie ainda
envergonhada” (linha 05).
C) “Aceito os subterfúgios” (linha 06) corresponde a “[…] que me cabem” (linha 06).
D) “já a minha vontade de alegria” (linha 15) corresponde a “sua raiz vai ao meu avô (linha 16).

COMENTÁRIO: A resposta da questão é a letra A, pois o termo “está espécie ainda envergonhada” remete-se à mulher  e não  a expressão “um anjo esbelto”.

05. A sequência textual marca-se sintaticamente por articuladores, ou seja, elementos responsáveis pela coesão do texto que contribuem para a construção do sentido. Atente para o que se diz a seguir sobre a funcionalidade dos articuladores destacados nos versos do texto 1.
I. Em “ora sim, ora não, creio em parto sem dor” (linha 10), o uso de conjunção
coordenativa de alternância marca a incerteza do eu lírico.
II. Em “Mas, o que sinto escrevo” (linha 11), o emprego da conjunção temporal põe os
elementos do texto ordenados entre si.
III. Em “já a minha vontade de alegria” (linha 15), o articulador destacado funciona, no
poema, como um elemento adversativo, pois marca oposição à “Minha tristeza” (linha 14).

Acerca da funcionalidade dos articuladores acima destacados, é correto o que se afirma em
A) I e II apenas.
B) I e III apenas.
C) II e III apenas.
D) I, II e III.

COMENTÁRIO: A resposta da questão é a letra B, pois na alternativa I confirma-se que os termos coesivos “ora ora”, os quais funcionam como conjunções coordenativas alternativas agem como marcas de incerteza do eu lírico, entretanto, a assertiva II contém um erro, pois a conjunção “mas” não indica tempo e também não ordena os termos, por fim a afirmação III é verdadeira porque o elemento coesivo “já” estabelece uma oposição entre os versos 14 e 15.

06. Quanto aos trechos destacados nos versos:
“carregar bandeira” (linha 03)/ “sua raiz vai ao meu avô” (linha 16) e “Minha tristeza não tem pedigree” (linha 14), é correto afirmar que são exemplos da figura de linguagem denominada

A) hipérbole, porque configuram exagero propositado para definir algo de forma dramática para ampliar a expressividade do texto.
B) metáfora, porque neles há transposição do sentido de um campo de ideias para outro campo em que significados são acrescidos aos originários.
C) sinestesia, porque exploram as sensações relacionadas aos órgãos dos sentidos,
concretizando de forma simultânea sensações diversas.
D) eufemismo, porque a autora os utiliza para dar um tom mais leve às expressões pesadas, negativas ou depreciativas.

COMENTÁRIO: A resposta correta desta questão é a letra B, pois os termos destacados no poema de Adélia Prado são exemplos de metáforas, já que produzem sentidos figurados a partir de relações de semelhança.

07. Quanto à visão da mulher, representada nos textos 2 e 3, atente para as seguintes assertivas:

I. O texto “Ai Que Saudades da Amélia” mostra o estereótipo da mulher submissa e que, apesar da subserviência ao homem, se sente feliz nessa condição.
II. O texto “Desconstruindo Amélia” mostra os estereótipos que a sociedade aplica às
mulheres e conta a história de uma que, um dia, resolveu mudar as coisas.
III. Os textos “Ai Que Saudades da Amélia” e “Desconstruindo Amélia” apresentam a
mulher como um ser que deveria apenas servir ao marido e aos filhos e ser dedicada
aos afazeres domésticos. 

Está correto o que se afirma em
A) I e II apenas.
B) II e III apenas.
C) I e III apenas.
D) I, II e III.

COMENTÁRIO: A resposta da questão é a letra A, pois os dois textos discorrem sobre a condição da mulher na sociedade só que de formas diferentes. A análise do Texto I nos deixa evidente que a mulher e retrata como um ser humano submisso e resignado diante das adversidades. A medida que lê-se a assertiva II nota-se que a mulher que é retratada no texto I é desfigurada e sai do patamar de submissão para assumir o jogo. No entanto a opção III é falsa pois apenas o texto “ Ai que saudades da Amélia” mostra que a mulher deve servir e ser dedicada ao marido e filhos.

08. O objetivo do texto 3, “Desconstruindo Amélia”, é
A) apropriar-se do conteúdo da letra de outra canção para fim de concordância com a temática. 
B) apresentar estereótipos de mulher submissa e feliz.
C) contar a história de alguém que resolve subverter imposições sociais.
D) apresentar uma mulher contemporânea presa a modelos passados.

COMENTÁRIO: A alternativa correta desta questão é a letra C, pois o texto Desconstruindo Amélia, retrata a situação de mulher que seguia presa aos padrões sociais da época, porém conseguiu modificar as situações, as quais eram impostas pela sociedade patriarcal, a qual vivia.

09. O texto 2, “Ai Que Saudades da Amélia”, tem por objetivo
A) mostrar uma questão feminista, porque Amélia é dona de seu lar e de suas decisões.
B) denunciar a pobreza, pois apresenta as reações negativas de Amélia ante as dificuldades.
C) desmascarar as condições econômicas vividas pelo casal.
D) apresentar a saudade de uma mulher submissa e alinhada ao imaginário masculino. 

COMENTÁRIO: A resposta desta questão é a letra D, pois o texto “ Ai que saudades da Amélia” apresenta uma mulher submissa aos caprichos do marido ( eu poético) o qual sente uma nostalgia dos momentos em que Amélia tinha essa condição.

10. Quanto ao gênero textual, o texto 4 é classificado como
A) artigo de opinião, porque nele há a defesa explícita de pontos de vista, de alguém ou de um grupo, por meio de argumentos.
B) entrevista, porque expõe intervenções de personagens na construção do texto.
C) notícia, porque apresenta informações sobre acontecimentos, preservando imparcialidade no relato dos fatos.
D) relato, porque trata da narrativa de deputados a respeito da experiência de suas funções e de suas rotinas. 

COMENTÁRIO: A Resposta desta questão é a letra C, pois ao ler o texto nota-se as características do gênero notícia, como a imparcialidade, a apresentação de informações e o leitor consegue responder os questionamentos : O que aconteceu?, Com quem aconteceu? Como ocorreu? Quando ocorreu? , Onde aconteceu?  e Por que aconteceu?

11. Ao longo do texto 4, há várias formas de retomar Secretário da Saúde do Ceará, tais como: Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho (linhas 64-65), Dr. Cabeto (linha 65), gestor (linha 73) e Secretário (linha 81). Isso ocorre

I. porque a atividade de escrita requer constantemente referências a algo ou a
alguém.
II. para que se mantenha a progressão textual via elemento que atua como central ou
relevante para a construção do sentido.
III. como estratégia para manter em evidência o referente a partir das predicações que lhes são atribuídas.

Estão corretas as complementações contidas em
A) I e II apenas.
B) II e III apenas.
C) I e III apenas.
D) I, II e III.

COMENTÁRIO: A resposta desta questão é a letra A, pois o item I condiz com a verdade devido a atividade escrita do gênero notícia requer que o referente seja constantemente citado. Já no item II temos como verdadeiro, pois para haver uma progressão textual e a construção de sentindo, o uso do referencial e a aplicação de sinonímia para evitar repetições são totalmente relevantes. No entanto a assertiva III é falsa, pois o referente não adquiri função predicativa no texto.

12. No período, “Na ocasião, o Secretário da Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho (Dr. Cabeto), apresentou…” (linhas 63-65), a expressão em destaque remete 
A) ao Segundo Expediente na Assembleia Legislativa do Ceará, quando foi dada a palavra ao Secretário da Saúde do Ceará.B) à proatividade do Ministério Público e da Aprece ao tema coronavírus porque o momento exigia que o assunto estivesse em pauta.
C) à reunião com os prefeitos dos municípios e membros do Ministério Público do Estado.
D) à informação repassada com qualidade pelos jornalistas à sociedade médica e à sociedade em geral. 

COMENTÁRIO: A resposta desta questão é a letra A, pois fica claro e evidente que a expressão coesiva “Na ocasião” retoma o período “ Ao segundo expediente na Assembleia Legislativa do Ceará , como é visto entre as linhas 60 a 63.