Clique Vestibular

SALA DE ESTUDOS

Resumo de capitalismo

Aprenda sobre capitalismo

CAPITALISMO

Sistema econômico baseado na propriedade privada dos meios de produção

Também chamado Economia de mercado, pois a produção é destinada ao mercado

Elemento central: Capital = todo o dinheiro investido na produção com o fim de gerar lucro

Capitalistas – proprietários dos meios de produção

Trabalhadores – não-proprietários; vendem sua força de trabalho em troca de salário em dinheiro

Produção destinada à venda

Objetivo: lucro através da fabricação de produtos comercializáveis (mercadorias)

O ciclo de reprodução do capital – produção, consumo e distribuição – desenvolve-se em função das necessidades do mercado

O dinheiro é a base de trocas, o que torna importantes os bancos e outros intermediários financeiros

ORIGENS DO CAPITALISMO

A partir da decadência do Feudalismo, o que causa as seguintes mudanças:

  • A base da riqueza deixa de ser a terra para ser o trabalho artesanal
  • Desenvolvimento do sistema de trocas, baseado na moeda
  • O crescimento das cidades favorece a mobilidade social
  •  Crescimento do comércio inter-regional
  •  Desenvolvimento de novas técnicas agrícolas
  •  Alteração das relações de trabalho

Europa Ocidental, séculos XII – XV. O renascimento comercial e urbano reativa o comércio e, assim,  permite o nascimento e fortalecimento da burguesia, uma classe de comerciantes visando não à subsistência, mas ao lucro. A formação de um Estado moderno forte e centralizado, que favorecia o comércio, é resultado de uma aliança entre a burguesia e o rei. A burguesia financiava o governo, que, em troca, propiciava a infra-estrutura necessária para o desenvolvimento das atividades comerciais burguesas. As Grandes Navegações são o início de um período de transição para o pleno estabelecimento do Capitalismo, onde houve importante acumulação primitiva de capital, disponibilidade de mão-de-obra e internacionalização do comércio. O sistema dessa época é chamado Capitalismo Comercial, e esse processo culminaria, finalmente, com a Revolução Industrial do século XVIII, coincidindo com o início da Idade Contemporânea.

CAPITALISMO COMERCIAL

Sécs. XV a XVIII

Época do Mercantilismo; colonização das Américas, África e Ásia; metalismo

Com as Grandes Navegações  e as colonizações, as relações mercantis ampliam-se geograficamente

Fontes de enriquecimento: circulação de mercadorias entre metrópole e colônia pelo pacto colonial; exploração de terras; comércio de escravos, manufaturas, metais preciosos e produtos agrícolas

Surge a divisão internacional do trabalho: as metrópoles exportam manufaturas, enquanto as colônias fornecem matéria-prima e servem de mercado consumidor para a metrópole

CAPITALISMO INDUSTRIAL

Sécs. XVIII e XIX

R.I. -> substituição da manufatura pela máquina a vapor

Imperialismo europeu na África e na Ásia – necessidade de mercado consumidor, matéria-prima, expansão (reinvestir o capital excedente).

O imperialismo culmina na I Guerra Mundial

CAPITALISMO FINANCEIRO

Após a II Guerra Mundial

Controle/Domínio econômico, ao invés de territorial

Integração do sistema bancário com as indústrias

Globalização

Surgimento das multinacionais/transnacionais

CAPITALISMO LIBERAL

Baseado na doutrina de Adam Smith

Lei da oferta e da procura – a livre concorrência seria a forma de equilíbrio natural no mercado

Pequenas e várias empresas que competem no mercado, sem que o Estado interfira na economia

CAPITALISMO MONOPOLISTA

O avanço tecnológico aumenta e barateia a produção e, assim, permite a reaplicação sucessiva dos lucros -> reprodução ampliada do capital

Acumulação do lucro excedente

Necessidade de um poderoso sistema bancário

Concentração do capital -> monopólio -> enfraquecimento da livre concorrência

Época do capitalismo Industrial

ÚLTIMAS NOTÍCIAS