Clique Vestibular

NOTÍCIAS

 Síndrome do impostor: saiba como não se sabotar

Esse fenômeno é um conceito da psicologia e descreve uma condição no qual indivíduos são incapazes de perceber o valor das suas realizações

Trabalhar com ferramentas, metas e estratégias é difícil, mas com pessoas e com sua própria individualidade não há comparação, não é mesmo? Ao se perguntar o que é gestão de pessoas, diversas são as questões e adversidades e é importante entender alguns temas para se tornar um profissional ou estudante cada vez melhor.

Um obstáculo que pode sabotar muitas carreiras é a síndrome do impostor. Entender como ela funciona e identificar gatilhos é essencial para não se colocar em lugares inferiores do que sua posição.

Você sabe do que essa síndrome se trata, como identificar e como fugir dela? Saiba mais sobre o tema agora mesmo!

O que é a síndrome do impostor?

É natural sentir nervosismo antes de realizar alguma tarefa importante, realizar apresentações e se colocar em lugar de destaque no trabalho. Mas você já se sentiu como se não fosse capaz de fazer isso e ter várias dúvidas sobre sua competência?

É justamente sobre isso a tal síndrome do impostor. Esse fenômeno é um conceito da psicologia clínica e descreve uma condição no qual indivíduos são incapazes de perceber o valor das suas realizações pessoais e profissionais.

Ou seja, mesmo realizando grandes feitos, principalmente na esfera profissional, esses indivíduos são incapazes de perceber o valor de suas realizações e desenvolvem um medo crescente de serem expostos como uma “fraude” em seu ambiente.

Mesmo com boas posições, postos e sucesso, muitas dessas pessoas acreditam que não merecem o que foi conquistado, atribuindo apenas a sorte ou resultado de truques, por exemplo.

A Síndrome do Impostor pode criar grandes problemas no ambiente corporativo e até mesmo na vida pessoal daqueles que passam por isso.

Como identificar a síndrome do impostor?

É importante que as pessoas não se autodiagnostiquem e contem com ajuda clínica e psicológica, porém, é importante identificar sintomas e sinais que possam te fazer estar nessa condição.

A síndrome do impostor pode se apresentar de diversas formas, como:

  • Ter dificuldade em aceitar elogios;
  • Fazer comparações com outras pessoas a todo tempo;
  • Ter medo de novas responsabilidades e desafios pois eles demonstrarão o seu “fracasso”;
  • Medo de receber feedbacks, positivos ou negativos;
  • Ansiedade e medo no trabalho;
  • Se tornar um procrastinador;
  • Se tornar um colaborador que não se esforça em nada além de sua obrigação;
  • Abandono constante de tarefas;
  • Excesso de trabalho, se transformando em workaholic;

Como parar de se sabotar?

Se você já se viu nessas ações que citamos, dá para perceber como pequenas atitudes podem impactar grande e negativamente seu desenvolvimento pessoal e pessoal, não é mesmo?

É preciso trabalhar internamente para abandonar a autossabotagem e aceitar o seu lugar conquistado por seus méritos e esforços. Abandonar a síndrome do impostor não acontece do dia para noite e requer esforço pessoal. Para te ajudar nesse momento, reunimos algumas dicas importantes!

Entenda seu problema

Não é porque você procrastina no trabalho algumas vezes ou se compara com seus colegas que necessariamente você sofre desse mal. Sendo assim, o primeiro passo é entender seu problema, seus gatilhos e o que de fato você está passando. Somente ao se conhecer que é possível tratar e cortar o mal pela raiz.

Pare de se comparar

A comparação é um grande sinal de autossabotagem. Mesmo que ela seja normal em diversos cenários, é preciso focar em você e não no próximo. Se inspire em pessoas, mas não se cobre para ser iguais a elas.

Lembre-se que ninguém é perfeito e que nem sempre as pessoas demonstram todas suas falhas e problemas, criando uma espécie de mundo perfeito para ser mostrado. Portanto, foque em você e evite apenas “olhar a grama do vizinho”.

Saiba que é normal não saber tudo ou errar

Ninguém é obrigado a saber tudo sobre algum assunto ou ser perfeito. Quando as pessoas se colocam nessa posição de “expert” em algo é grande a cobrança dentro da perfeição.

É importante estudar, se capacitar e se aperfeiçoar, mas não se cobre ser uma enciclopédia. Mais do que isso, entenda que você também pode tomar atitudes não tão corretas e se equivocar em algumas escolhas, mas isso não te faz uma fraude em sua posição!

Admita quando você não tem respostas ou quando erra e entenda que você pode encontrá-la e se esforçar para seu desenvolvimento.

Não abandone seus sonhos

Quando a pessoa está frustrada e na síndrome do impostor é natural se colocar na zona de conforto e entender que não merece nada além disso. É importante reviver seus sonhos e metas, sejam profissionais ou pessoais, para te dar um gás para seguir na busca de novas posições.

Encare desafios e saiba que muitos aprendizados surgirão ao sair de sua estagnação e medo. Algumas ações pessoais, tomadas aos poucos, são importantes para te tirar do lugar do impostor.

Você já se sentiu como impostor em algum ambiente? Repense suas ações, olhe para você e sua capacidade e fique atento sobre como você tem se sentido. E, claro, não deixe de buscar ajuda médica e psicológica para ter ainda mais acompanhamento!

 

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS